• Idioma:
  • Conversão:

Home | Escola de Samba - Academicos do Sossego

Acadêmicos do Sossego

Beija Flor Samba School flag

''Não se meta com minha fé, acredito em quem quiser''

Samba Enredo de 2019

Compositores: Ademir Ribeiro / Diego Tavares / Fábio Borges / Felipe Filosofo / Gilma L. Silva / Mario Da Vila Progresso / Michel Do Alto / Orlando Ambrosio / Serginho Rocco / Sérgio Joca / W. Motta
Intérprete: Guto e Juliana Pagung[

Letra do Samba

O céu aberto ao som da lira
Orações, linda alvorada
Meu nome Jesus, por que não Santo também?
Bom Deus, por que o ódio no planeta azul?
Se crentes ou ateus no sangue a mesma cor
Na mesquita, no templo, no terreiro
O mesmo sentimento de aliança
A morte em teu nome uma contradição
A morte em teu nome uma contradição

Anjo, no tribunal da fé
Só ganância e poder
Eis aí o livre arbítrio
De pessoas sem ternura
Na escolha entre o bem e o mal
Santo Deus, a justiça da terra ou do céu?
No cálice da fé a intolerância
O vinho tinto amargo de sangue
Qual o caminho, meu pai?

Filho milagreiro, solidário ao irmão
Santo popular, Jesus Malverde
Teu nome hoje em romaria
A esperança de um mundo melhor

Ó meu Deus, piedade de nós
Ó meu Deus, piedade de nós
Com seu amor azul-sossego
A paz entre as religiões


  Desfile 2019


Enredo 2019

  • Carnavalesco: Leandro Valente
  • Diretor de Carnaval: Almir Jhunior e Tom Santos
  • Diretor de Harmonia: Comissão
  • Intérprete: Guto e Juliana Pagung
  • Mestre de Bateria: Laion Arc
  • Rainha de Bateria: Dany Storino
  • Mestre-Sala: Marcinho Souza
  • Porta-Bandeira: Thayanne Loureiro
  • Comissão de Frente: Vinícius Rodrigues
  • Desfile de 2019: 7° escola a desfilar na sexta feira (01/03/2019) / 02:30 - 03:30


''Não se meta com minha fé, acredito em quem quiser''

RESUMO

Minha crença não é melhor que a sua.
Seu Deus não é melhor que o meu, não apela!
Navegamos no mesmo barco, moramos todos na mesma Terra 
e todos vamos para debaixo dela.
Você sabia que tem santo milagreiro que não se encaixa em seu nobre pensar?
Jesus Malverde, que dos ricos roubou para os pobres alimentar.
No México ele viveu, e roubou sim, qual o problema? É duro de aceitar?
Pois acredite que para o povo simples é dele o maior altar.
Todos os anos em romaria, milhares procuram aquele que chamam de santo mais forte, e o elevam ao status da Santa Morte.
Foi Jesus Malverde que fez minha escola pensar no quanto é grande a hipocrisia
daqueles que dizem quem pode ou não pode ser santo, e para quem devemos rezar 
mas que se esquecem de que julgar é pecar.
Não se meta com minha fé acredito em quem quiser
Se sou de Oxalá ou de Javé, o importante é o que minha obra faz.
Se procuro a guerra ou se busco a paz. Posso ser fiel puro de Alá
Ou misturar todas as crenças em um budalorixá
Pouco importa se jogo carta ou rezo na Cabala.
Se sou cardecista, judeu, evangélico ou macumbeiro.
Não é por isso que vais me acusar de trambiqueiro e
muito menos destruir o meu terreiro. Intolerância é crime, companheiro.
Não se meta com minha fé acredito em quem quiser
Fé não é ciência. Não se encaixa em sua razão. É coisa do coraçãoe o coração sempre vai mais longe, não se prende.
Então respeite o que você não entende. Não se meta com minha fé acredito em quem quiserOs caminhos da vida, quem sabe, quem tem noção?
Se sua meta é o Nirvana
Aceite quem procura outra forma de evolução. Há tantos outros santos que foram gente como a gente nos choros, mágoas e rancores que achavam que jamais achariam a luz. Só que Cristo perdoou um ladrão pregado no alto da cruz. E se podemos ser abençoados na véspera da derradeira sorte quem pode dizer que não podemos ser milagreiros após a morte? Não se meta com minha fé acredito em quem quiser Guerra religiosa é a maior contradição da Humanidade. É matar em nome de Deus para pôr fim à liberdade. Milhões já morreram por motivo tão torpe e desastroso e levaram muita gente boa a achar religião algo horroroso. Não se meta com a minha fé acredito em quem quiser Vem com a nossa escola não importa se você é crente ou ateu. Importa que tem o sangue da mesma cor que o meu. Se errou, não importa mais.O perdão nos refaz iguais. E perdão não é coisa de religião. É nosso grande impulso de união se seguirmos juntos combatendo a maldade. Se existe ou não o paraíso, encontraremos a felicidade nessa vida ou após ela. Para nós ou para quem vier depois dela. No exemplo de Jesus Malverde, a partir de agora vou cantar. Não interessa o que você tenha feito... Vamos nos amar!


  • 2016Campeã
  • 2009Campeã
  • 2008Campeã
  • 2001                                     Vice-Campeã

Ficha Técnica

  • Fundação: 10 de novembro de 1969
  • Cores: Azul e Branco
  • Presidente: Wallace Palhares
  • Presidente de Honra:
  • Quadra:  Estr. Gen. Castro Guimarães, 730 - Largo da Batalha, Niterói - RJ, 24310-000
  • Ensaios:-
  • Barracão:-
  • Web site:  Estr. Gen. Castro Guimarães, 730 - Largo da Batalha, Niterói - RJ, 24310-000
  • Imprensa:-

A História da Acadêmicos do Sossego

A escola foi fundada em 10 de novembro de 1969 por Odir de Oliveira Costa e César de Melo Loureiro, com as cores eram verde e vermelho, desfilando no ano seguinte como bloco carnavalesco, com um enredo sobre Ari Barroso. Ainda em 1970, adotou as cores vermelho e amarelo, e no ano de 1978, alterou novamente suas cores oficiais para as atuais azul e branco. Nesse ano, sagrou-se campeão entre os blocos de Niterói.
Após ser campeã do Carnaval de 1981, subiu para a divisão principal do Carnaval, onde pôde disputar contra as duas grandes escolas do município, Acadêmicos do Cubango e Unidos do Viradouro, acabou novamente rebaixada ao segundo grupo[10] em 1983, quando, após desfilar com outras nove escolas, obteve a oitava colocação, empatada com a Combinado do Amor, e após um sorteio, a Sossego perdeu a vaga no Grupo I.

Em 1984, desfilou no Grupo II com outras 5 escolas[12], obtendo nova a vitória, e nova ascensão.Na apuração do desfile de 1985, ficou à frente de Cubango e Viradouro, perdendo o título para a Corações Unidos e a União da Ilha da Conceição, empatadas no primeiro lugar. Um fato curioso é que na apuração deste ano um vereador rasgou parte do mapa de contagem contendo uma das notas do Sossego, o que resultou na repetição da nota do quesito anterior (9), motivo pelo qual ficou em 2° lugar. Dizem os mais antigos que se isso não ocorresse, o Sossego ganharia o carnaval do ano.

De 1986 a 1988, já com as duas maiores escolas da cidade fora da disputa, uma vez que passaram a participar do Carnaval do Rio, a Sossego firmou uma hegemonia na cidade, obtendo o tri-campeonato. Em 1989, por conflitos internos, a agremiação não desfilou, o que levaria ao seu consequente rebaixamento para 1990. No entanto, o Senhor Beirute, presidente da Associação das Escolas de Samba das Cidades de Niterói e São Gonçalo, não permitiu que a agremiação fosse rebaixada. Ao desfilar com o enredo “Beijo te beija”, a Sossego conquistou seu tetra campeonato. Após o carnaval de 1992 a entidade seria extinta e a sua sede vendida, quando Almir Augusto Monteiro, Luiz Besouchet e João Preá não permitiram e recuperaram a agremiação.

No ano seguinte a nova direção apresenta um belo desfile, do carnavalesco Gil Gouvea, com o enredo “Tratado de amor”, conquistando o 2° lugar. Em 1994, o carnavalesco Newton Galhano é contratado e com o enredo “Só vai ao Bonfim quem tem” trazendo para o desfile da Amaral Peixoto duas grandes personalidades da localidade: Lizete, a mais antiga baiana da escola, que não desfilava desde 1990 por problemas de saúde; e uma grande personagem do Acadêmicos do Cubango, mãe Luizinha. Nesse ano, o Sossego obteve o vice-campeonato. Após o carnaval de 1995 em que novamente fica em 2° lugar, com o enredo “Deixem nossas matas sempre verdes”, ganhando o troféu de melhor ala de baianas, comandada por Arlete Matias e melhor comissão de frente.

O então presidente, não conformado com as subsequentes derrotas, resolve abandonar o carnaval fluminense e seguindo os passos da Cubango e Viradouro, se filia à Associação das Escolas de Samba da Cidade do Rio de Janeiro. No ano seguinte, o Carnaval de Niterói seria extinto, retornando apenas na década seguinte. Assim, a Sossego estreia no carnaval carioca com o enredo "E o cinema virou samba, tem pipoca no ar", que deu à escola o vice-campeonato do grupo "E". No ano posterior conquistou seu primeiro campeonato carioca pelo grupo D, com o enredo “Olha o passarinho, um álbum de família”.

Em 1998, com o carnavalesco Max Lopes e o estreante Cahê Rodrigues, obtém o terceiro lugar no grupo e o direito de acesso ao grupo B, já na Marquês de Sapucaí. Terminado o carnaval, o até então presidente e sua diretoria deixam a agremiação e João Carlos Paes assume a presidência. Por mais dois anos a agremiação permaneceu no Sambódromo, retornado ao grupo C em 2001, quando obtém novo vice-campeonato, e retorna ao Grupo B, na Sapucaí. De 2002 a 2005 a agremiação foi rebaixada duas vezes, retornando ao grupo D, quinta divisão do Carnaval do Rio.

Após 2006, a Sossego é assumida por Almir Alves da Silva (Mica), juntamente com os conselheiros Djalma da Conceição e Almir Augusto Monteiro, ambos ex-presidentes, que trazem de volta o já consagrado carnavalesco Cahê Rodrigues.

Em 2008, já sob o mandato de José Adriano Valle da Costa, a Sossego é campeã do grupo de acesso D.

Em 2009, a agremiação homenageou sua cidade, Niterói, com o enredo Sorria, Você Está Numa Cidade Com Muito Sorriso, Suor e Sossego, conquista o título da quarta divisão - naquele ano chamada de Grupo RJ-2, retornando à Passarela do Samba.

Em 2010, novamente homenageou a cidade de Niterói. No ano seguinte, a escola apresentou o enredo Sua Majestade, o Rei Sol, que abordava o astro solar como tema de seu carnaval. Nesse ano, Dinho (ex-Cubango), passou a ser o novo diretor de bateria da escola, que teve à frente como rainha Camila Macedo. Devido a um estouro de tempo e problemas na evolução, a Sossego acabou rebaixada novamente, voltando para o desfile da Estrada Intendente Magalhães.

Em 2015, a escola perdeu seu presidente Luiz Gustavo, que passou mal aos 39 anos, na véspera do desfile da agremiação, sendo internado, e vindo a falecer na sexta-feira, após o Carnaval.No desfile, termina em 9° lugar. Em 2016, com uma homenagem ao centenário do poeta Manoel de Barros, a escola se sagra campeã da Série B, e retorna a Sapucaí após 4 anos desfilando na Intendente Magalhães, sendo sua estreia na Série A. Para 2017, anunciou a contratação do intérprete Leandro Santos, vindo da Tuiuti, e do carnavalesco Márcio Puluker, que desenvolveu o enredo prestando uma homenagem a atriz Zezé Motta. E para contar a história da atriz, a azul e branca levou para a avenida um samba-enredo em formato de diálogo, recurso inédito no carnaval. Com uma competente apresentação, a escola conseguiu uma permanência tranquila na Série A, obtendo o 11° lugar.

Visando o carnaval de 2018, a Sossego promove mudanças em alguns departamentos, contratando o carnavalesco Petterson Alves, que desenvolverá o enredo "Ritualis". Para o carro de som, contratou o experiente Nêgo, que volta à Sapucaí após sua última passagem pela Imperatriz em 2015. Como forma de conter despesas, a escola optou por encomendar seu samba-enredo para a parceria encabeçada por Felipe Filósofo, vencedora na escola nos últimos dois carnavais.
;