• Idioma:
  • Conversão:

Home | Escola de Samba - Santa Cruz

Acadêmicos de Santa Cruz

Acadêmicos de Santa Cruz Samba School flag

"Senhora Liberdade, Abre as Asas Sobre Nós"

Samba Enredo de 2019

Compositores: Samir Trindade, Junior Fionda e Elson Ramires
Intérpretes: Roninho 

Letra do Samba

Dama, meu motivo de rara beleza
Acalanto a sua alteza
A estrela que brilha por nós
Oh, pérola negra!
Joia que emana a paz
Lapidada nas Minas Gerais
Seu destino: encantar corações
Canoas, um cortejo de saudade
A doce lembrança que ficou pra trás
No Rio, lindo mar de esperança
Refletindo a infância, acende os ideais
Talento é dom pra vencer
Preconceito não pôde calar
Foi preciso acreditar
Menina mostra a força da mulher

O negro pode ser o que quiser          (bis)
Resplandeceu da humildade a sua glória
A emoção, pioneira no Municipal
E aprendeu, viveu a arte em sua história
Inspiração, no palco do meu carnaval
Divina musa, no esplendor se fez atriz

Um sorriso de uma raça não apaga a cicatriz    
Voa, senhora mãe da liberdade
Em seu papel, a igualdade
De quem sentiu na pele a dor
Brilham Marias, Carolinas de Jesus
Você foi a resistência
E a resistência hoje é Santa Cruz

Ê Odara… Ê, Odara… Ê Odara…
Ê, oh, Sinhá Moça                                 (bis)
Ê, Odara… Ê, o samba
A reverenciar Ruth de Souza

Desfile 2019




Enredo 2019

  • Carnavalesco: Cahê Rodrigues
  • Diretor de Carnaval: Ricardo Simpatia
  • Diretor de Harmonia: Marquinhos Harmonia
  • IntérpreteRoninho
  • Mestre de Bateria: Mestre Riquinho
  • Rainha de Bateria: Larissa Nicolau
  • Mestre-Sala: Mosquito
  • Porta-Bandeira: Roberta Freitas
  • Comissão de Frente: Marcelo Chocolate e Marcello Moragas
  • Desfile de 2019
  • Posição de desfile: 4º escola a desfilar na sexta feira  (01/3/2019)
  • entre 00:15 - 00:45

"Senhora Liberdade, Abre as Asas Sobre Nós"

Sinopse - RESUMO

Tudo é uma questão de fé. A esperança e a caridade são uma consequência da fé. E essas três virtudes formam uma trindade inseparável. Não é a fé que sustenta a esperança de se verem cumpridas as promessas do Senhor? Porque se não tiverdes fé que esperareis? Por conseguinte, que amor?

A fé, divina inspiração de Deus, desperta todos os sentimentos que conduzem o homem ao bem, é a base da regeneração. Pregai pelo exemplo da vossa fé, afim de transmiti-las aos homens pelo exemplo das vossas obras, para que vejam o mérito da fé; pregai pela vossa inabalável esperança, para que tenham a confiança que fortifica e estimula a enfrentar todas as instabilidades da vida.

PRIMEIRO SETOR: CONTOS DE ESPERANÇA E MAGIA

Impossível assistir a qualquer conto de fadas sem se emocionar e refletir sobre a vida. Como seria a vida dos personagens de contos de fadas se estes vivessem no mundo real? Leia-se, aquele em que vivemos sem magia. Quando ficção e realidade se misturam literalmente, se pudesse resumir os contos de fadas em uma palavra certamente seria “Esperança”. A falta de magia equivale a ausência de amor para nós nos dias de hoje. Como fazer alguém acreditar em algo tão improvável como a magia?

Pousada sobre a coroa símbolo da Acadêmicos de Santa cruz, junto com uma revoada de esperanças, em um lindo chão de estrelas personagens e lugares mágicos serão o ponto de partida desta história que não nunca nos deixara perder à esperança e o amor, pois só enxergamos aquilo o que desejamos ver. “A Terra do Nunca” onde os meninos perdidos jamais crescem, “o País das Maravilhas” com Alice e o chapeleiro maluco, Oz da menina Dorothy na Cidade das esmeraldas, “o pote de ouro no fim do arco-íris” são fantasias onde os votos de esperança são o que mantém esses contos vivos. De forma semelhante a vida, aprendemos a dar valor a algumas coisas só depois que as perdemos. Isso quando aprendemos, porque algumas pessoas cometem os mesmos erros a vida toda. Quantas mortes ou fins poderiam ser evitados caso as pessoas acreditassem mais no amor? Talvez pela raridade é considerado a magia mais poderosa? Perdas também podem ser ganhos. A esperança seja talvez a luz no fim do túnel.

  • 2004                                    Vice-Campeã
  • 2002Campeã
  • 1996Campeã
  • 1989Campeã

Ficha Técnica

  • Fundação: 18 de fevereiro de 1959
  • Cores: Verde e branco
  • Presidente: Moysés Antônio Coutinho Filho
  • Presidente de Honra:-
  • Quadra: R. do Império, 573 - Santa Cruz, Rio de Janeiro - RJ, 23555-024
  • Ensaios:-
  • Barracão: ?-
  • Web site: http://academicosdesantacruz.com.br
  • Imprensa: -

A História da Acadêmicos de Santa Cruz

Foi de um bloco de sujo, o Vai Quem Quer, nos anos 1950, que começou a desenhar-se a futura escola de samba Acadêmicos de Santa Cruz, cujas reuniões iniciais aconteciam no pontilhão da Rua do Império, esquina com a Rua Campeiro-Mór.

A escola surgiu de uma dissidência de um grupo de foliões que desfilavam no bloco carnavalesco Garotos do Itá e, mais tarde, em 18 de fevereiro de 1959, fundava-se a nova escola que, nos anos de 1967 e 1968, começou a aglutinar sambistas de outras escolas de samba de Santa Cruz, como, Unidos da Jaqueira, Independentes do Morro do Chá, Garotos do Itá e Unidos do Caxias.

O Acadêmicos de Santa Cruz foi fundado por José Ramos Cordeiro (Zé Taqueiro), Altamiro de Oliveira, Guilherme José de Andrade, Luiz dos Santos Oliveira (Hominho), Benedito Antônio do Nascimento (Coragem), Hélio de Carvalho (Petico), Ubirajara das Neves (Bira), Áureo Cordeiro Ramos (Mestre Áureo), José Vieira Félix (Dindica), Otacílio de Souza, Manoel José de Santana (Biéca), Otávio Dantas (Tavinho) e Luiz Cordeiro Ramos.

Tem as cores verde e branco. Teve como símbolo inicial a figura de um boi como referência ao matadouro que durante anos funcionou no bairro, um capelo fazia referência aos acadêmicos que fundaram a escola, juntamente a um pandeiro e um surdo como marcos da relação com o carnaval. Mais tarde o símbolo da escola foi substituído pela figura de uma coroa, sendo que em alguns anos a escola teve na bandeira uma estrela.

;