Alegria da Zona Sul - Samba School Song Português

Alegria da Zona Sul Samba School flag

Listen here to the samba song of the Rio Samba School Alegria da Zona Sul. Just click on the music player on the side.


Alegria da Zona Sul Samba School

DETAILS

Established in: 28/06/1992

Flag Colours: Red and white

Honorary: Sabrina Garcia

President: Marcus Vinícius de Almeida

Address: Rua Saint Roman, 176 - Copacabana
Reharsals: Av. Atlântica (Posto 5)

Head Quarter: Rua Equador, 250 - Santo Cristo

Press:


Alegria da Zona Sul 2017

2017 parading time

Parading Theme: " Vou Festejar... Com Beth Carvalho a Madrinha do Samba"

Carnival Designer (Carnavalesco):Marco Antonio

Carnival Manager: Mauricio Dias

Vocalist: Igor Vianna

Drummer Regent: Wanderson Orelha

Drummer`s Queen: Alexandra Montrezor

Flag Carring Couple:
Bárbara Falcão

Vanguard: Renata Monier

 

 

 

Alegria da Zona Sul

Theme: "Vou Festejar... Com Beth Carvalho a Madrinha do Samba"

Composers: Pixulé, Rafel Tubino, James Bernardes, André Kaballa, Marcelão, Marco Moreno, José Mário, Pedro Miranda e Victor Alves

Vocalist: Sorriso e Wictoria Tavares / Participação de Pixulé

Samba Enredo 2015

 

É LINDO LUAR
ILUMINE AS "ANDANÇAS" DESSA GENTE 
É SAMBA, TAMBORES A CONTAGIAR
É SAMBA… MALANDRO, VADIO, VALENTE
ENTÃO, A PEQUENA BAILARINA
VIU A "ALVORADA" MENINA
LÁ NO MORRO, QUE BELEZA
SEGUIU A MELODIA DA CANÇÃO
AS "FOLHAS SECAS" E AS "ROSAS" DE MANGUEIRA
E DESCOBRIU SEU DOM, AMOR PRA VIDA INTEIRA 

"ESQUECE A DOR"… ENTRA NA RODA
"DOCE REFÚGIO" ONDE A ARTE FOI MORAR
CACIQUEANDO À SOMBRA DA TAMARINEIRA
O SUBÚRBIO TE CHAMA PRA CANTAR

SAMBISTA DE CORPO E ALMA
"VOCÊ VALE OURO", É INSPIRAÇÃO
NO SONHO DA DEMOCRACIA 
LUTANDO PELA LIBERDADE DE EXPRESSÃO
UM CORAÇÃO QUE ESPELHA A GRANDEZA
TÃO "GLORIOSA" QUE "NEM CABE EXPLICAÇÃO"
BONITO É FALAR DE VOCÊ
OUVIR TUA VOZ ENCONTRANDO O INFINITO
MADRINHA, "DIVINA" DAMA
O POVO TE ACLAMA, "NÃO É PECADO SAMBAR"
"O SHOW TEM QUE CONTINUAR"

BATE NA PALMA DA MÃO, LEVANTA POEIRA
DE VERMELHO E BRANCO, VOU FESTEJAR
NA ALEGRIA, O BATUQUE É DE ARERÊ
BETH CARVALHO, O MEU SAMBA É PRA VOCÊ

 


2017 Parading Theme

"Vou Festejar... Com Beth Carvalho a Madrinha do Samba"

Justificativa

Abrem-se as cortinas para o novo espetáculo, e almejando conquistas ainda maiores, o G.R.E.S. Alegria da Zona Sul apresenta seu enredo para o Carnaval 2017.

Carinhosamente, a comunidade do Cantagalo, Pavão e Pavãozinho prepara sua melhor fantasia. Todos se vestem de alegria. O samba conduz a batucada para realizar a grande homenagem: “Vou Festejar… Com Beth Carvalho, a Madrinha do Samba”

O pavilhão vermelho e branco faz a grande reverência à figura de Elizabeth Santos Leal de Carvalho, ou simplesmente, Beth Carvalho. Conhecida carinhosamente como “madrinha do samba”, exaltaremos na Sapucaí a menina bailarina que se tornou uma das cantoras mais influentes do
cenário musical brasileiro.

Nesta homenagem em forma de Carnaval, não realizaremos um simples passeio por sua biografia. Desfilaremos pelos caminhos da musicalidade de Beth Carvalho. Iremos festejar todos os elementos que hoje consagram 50 anos de uma trajetória fabulosa.

Então, quem quiser que se una a nossa batucada. Nossa bandeira é o samba, bordado na raça de uma gente guerreira, que faz desse o seu maior momento de alegria. Por isso, podem chegar, a festança já vai começar!

Sinopse

Êh luar do meu céu, vem iluminar,
Deixa falar o coração, o samba vai tomar a pista.
Clareia o caminho, é tempo de festejar,
O nosso samba está na rua,
É o estandarte da nossa Alegria!

Encontra a doce menina bailarina,
Que se deixa encantar pelo danado violão.
Faz libertar a suave voz “por quem morreu de amor”,
É o mágico dom de cantar e encantar.
Em suas andanças caminhou por folhas secas,
Viu a alvorada, lá no morro, que beleza!
E se as rosas que por aí existem não falam,
Em Mangueira deixou-se envolver por um perfume único.

Tal qual o jeito desse Rio de tantos janeiros,
Carioca sorridente, sempre de braços abertos.
Um Rio que desagua poesia por todos os cantos,
Charmoso e vadio. De muita fé e festa!
Que trilha caminhos do teu coração central,
Para o doce refúgio onde a arte fez morada,
Sob as bênçãos da divindade!
Okê okê! Okê Arô!

Ah, madrinha!
Sua história é orgulho para a nação,
Ao povo a igualdade, a justiça e a democracia!
Que bom poder irmanar o samba para te aplaudir!
Vem Criolé e Manequinho, toda gente alvinegra,
Vem todo povo da Estação Primeira!
Que bom poder falar de você,
Chegam todos para festejar,
É a consagração do seu jubileu artístico!

Valeu, madrinha do samba!
A vermelho e branco te aplaude nesse carnaval.
Firma na palma da mão e na ponta do pé,
A nossa batucada é “Show de Ritmo”.

Hoje, a festa é toda tua menina bailarina,
Obrigado, Beth Carvalho!
A bênção, madrinha!

Explanação Histórica

“[…] Quem não gosta de samba
Bom sujeito não é
É ruim da cabeça ou é doente do pé
Eu nasci com o samba, no samba me criei
E do danado do samba
Eu nunca me separei […]”

Eis o retrato de uma vida para se fazer poesia…

O samba é a estrela do céu que ilumina suas andanças. É o poder reunido na voz. É presente que Deus deu. Samba é paixão, emoção, devoção.

Samba que é herdeiro do semba. Batucada ancestral de quem já usava o corpo e a voz para expressar suas coisas. Por aqui te guardou, acalentou e viu tomar cada canto desse Brasil.

É o tal coração de mãe. Do rico e do pobre. Do negro e do rico. Samba é pé no chão e bico fino. É de fino traje ou camisa rasgada. Entre o samba e o Rio de Janeiro, a química perfeita. Do malandro e da cabrocha. Do cravo na lapela e da rosa no cabelo. Boêmio, vadio e sério.

Pode ser trinar melancólico ou o estandarte da nossa Alegria. Ele é assim, ser de tantas faces. É o tal que não tem teoria, apenas a voz do coração. Desde que o samba é samba, é assim. Ele é a voz desse Brasil.

“Ah! estas cordas de aço
Este minúsculo braço do violão
Que os dedos meus acariciam
Ah! este bojo perfeito
Que trago junto ao meu peito
Só você violão […]”

Quando a música encontrou a doce menina que sonhava em ser bailarina famosa, foi paixão avassaladora. As cordas de aço deram vida as notas que libertavam o verso de uma bossa nova do papel. Foi o danado desse violão que tomou de assalto o seu coração.

“Por quem morreu de amor” faz ecoar a poesia romântica, na voz da juvenil que ganhava seu primeiro compacto. Doce voz, que abençoada pelo romantismo inicia suas andanças por todo o país, comprovando seu talento tão especial.

Ah, doce voz da mulher que subiu o morro. Pelos caminhos tão seus, pisou em folhas secas caídas de uma mangueira que a sombra guardava sua primeira estação. Caminhou becos e vielas para então beber em sagrada fonte vívida de inspiração.

Lá do alto viu a alvorada iluminar tantos barracões de zinco. Lá do alto viu quem se achegava ser feliz e quem se mudava levar saudade. Lá viu florescerem as mais belas rosas, donas de um perfume envolvente. De lá ouviu ecoar o juízo do sambista, na esperança da luz do amor chegar aos corações.

É lá em Mangueira que tudo isso é possível. Mangueira é reino de sonhos de tantos reis e rainhas. De Cartola e Nelson Cavaquinho. De Zica e Neuma. Tia Fé, Tia Maria, Carlos Cachaça, Delegado e Zé Espinguela. Ah, Mangueira! Que beleza de cenário.

“Mangueira teu cenário é uma beleza
Que a natureza criou, ôô
O morro com teus barracões de zinco,
Quando amanhece, que esplendor […]”

De Mangueira e de todos os cantos dessa cidade encantadora. Maravilha carioca, abençoada por Deus. Moldura do concreto e abstrato, são tantas canções. O Rio de Janeiro, seu jeitinho único, carioca da gema. Rio que desagua sorrisos e abraços fraternos. 40º graus a beira mar ou no subúrbio.

É o charme e a saudade nas cores da Cinelândia. É a fé que sobe para louvar São José lá nas bandas de Madureira. É a folia que se encontra, sob a batuta de um cacique ou nas garras de uma onça. É toda alegria de um povo que faz batucada de janeiro a janeiro!

É esse Rio que faz despertar a felicidade, mas foi no subúrbio que ela encontrou um doce refúgio. Na sombra de uma tamarineira, sob as bênçãos de Oxóssi sua arte fincou raízes. Por lá, ajudou a levantar a bandeira do samba e do pagode lançando diversos artistas que se consagraram no cenário musical brasileiro. Querida por tantos, “madrinha do samba”.

“Sim
É o Cacique de Ramos
Planta onde em todos os ramos
Cantam os passarinhos das manhãs
Lá do samba é alta bandeira
E até as tamarineiras
São da poesia guardiãs[…]”

Nesta longa caminhada, é chegado o momento de festejar a grande consagração. São inúmeras premiações, homenagens e até mesmo títulos únicos. É muito sucesso! É muita luta por esse Brasil que é sua paixão, é a força na política que clama pela igualdade, a justiça e a plena democracia para o povo.

Para este coração não faltam paixões. Para esta festa, lá de São Paulo da garoa, o Criolé traz o pavilhão altaneiro do G.R.C.E.S. Vai-Vai. Salve o povo da Saracura! Vem também o Manequinho, trazendo a estrela do seu alvinegro amado, Botafogo! Salve o glorioso! Vem, Estação Primeira! Pelo som dos teus tamborins e o rufar do seu tambor, todo mundo conhece ao longe, Mangueira!

É tanto talento que sua voz rompeu barreiras e cruzou o espaço! Foi parar em outro planeta despertando um pequeno robô, e quem sabe, fez até marciano sambar!

Ô coisinha tão bonitinha! Que honra poder festejar o teu nome nesse Carnaval. Que momento único te consagrar como estrela maior da festa da nossa gente, quando você completa um jubileu de sucesso que vale ouro!

“O nome de mulher é tão sagrado
Mulher é nome pra ser respeitado[…]”

No melhor estilo do nosso “carioquês”: “Valeu, Madrinha”. O povo do Cantagalo, Pavão e Pavãozinho te aplaude e pede sua benção para brilhar na Sapucaí festejando os caminhos da sua trajetória musical!

Firmando na palma da mão, sambando na ponta do pé. A nossa batucada é “Show de Ritmo” e vai tocar para festejar esse momento onde, com certeza, a sua alegria é a nossa Alegria!

Palmas para você, menina bailarina!
Obrigado, Beth Carvalho!
A bênção, madrinha!

“A rapaziada sambando está feliz
Sacudindo com arte este país
Nosso samba tá na rua […]”

 


 

Alegria da Zona Sul`s history

A escola foi criada em 28 de julho de 1992 através da fusão dos blocos de enredo Alegria de Copacabana e Unidos do Cantagalo. A escola adotava as cores azul, verde e branco e tinha como símbolo os personagens de Walt Disney: Zé Carioca e Panchito.
Em 1993, no seu primeiro ano na AESCRJ, o Alegria conseguiu se manter no grupo E, apresentando o enredo "Sou Mais Carioca", que retratava os 100 anos de seu bairro, os 50 anos do personagem Zé Carioca e do primeiro aniversário da agremiação.
No ano seguinte, já consolidada, a Alegria da Zona Sul alcançou seu primeiro campeonato, com o enredo "Na Dança das Cores: Preto Não é Cor, Mas Negro é Raça", apresentando em seu desfile um apanhado dos significados das cores e enaltecendo a raça negra.
Em 1995, embora com força de um recente título, e no grupo D, o Alegria não desfilou. No ano seguinte, 1996, penalizado pela Associação, disputou novamente o Grupo E, obtendo novamente o título, com o enredo "Olha que Coisa Mais Linda Mais Cheia de Graça", contando a história e comemorando o centenário do bairro Ipanema.
Em 1997, após novos distúrbios, quase não desfila. Seu enredo foi "Capoeira, Um Ballet á Brasileira", contando a origem da luta/dança. Apesar dos problemas, consegue uma boa apresentação, que lhe rendeu o vice-campeonato e o acesso ao grupo C.
Em 1998, obteve o sétimo lugar com o enredo "Mulher Negra é Cultura Mundial", enaltecendo a importância e força da mulher negra desde os primórdios da humanidade, mantendo-se no mesmo grupo.
Em 1999, o Alegria apresenta-se com o enredo "Alegria, Seu Signo no Zodíaco", na Avenida Rio Branco, apresentando os signos e colocando a escola como o signo da euforia. Obteve o penúltimo lugar, e desceu para o grupo D.
No ano 2000, o Alegria vence e sobe novamente para o grupo C com o enredo "Negro Quem És?".
Em 2001, com o enredo "Brasil um País de Todas as Raças", mostrando as etnias que estiveram no Brasil até mesmo antes do descobrimento dos portugueses e a miscelânea que é o povo brasileiro, o Alegria da Zona Sul é campeão na Avenida Rio Branco, classificando-se para o desfile no grupo B na Marquês de Sapucaí.
Em 2002, foi a segunda escola a desfilar na terça-feira de carnaval, conseguindo a 6ª colocação com o enredo "O Sonho Dourado de Percy", mostrando a saga do coronel inglês Percy Fawcett, desaparecido no interior do sertão brasileiro quando buscava a entrada para o Eldorado.
Em 2003, apresentou o tema "Festa no Quilombo: na Coroação de um Rei Negro", a escola apresentou, num sonho de folião, o que teria sido a festa de coroação de Ganga Zumba, o primeiro rei de Palmares, quando, os mocamos homenagearam o entronado com danças afro-brasileiras, o que rendeu a ascensão ao grupo A.
Em 2004, o grêmio apresentu na avenida dos desfiles o enredo "Dorival Caymmi, o Mar e o Tempo nas Areias de Copacabana", onde se aproveitou do fato de ser do bairro que o cantor e compositor Dorival Caymmi escolheu para viver e completar seus 90 anos de idade.
Reestruturado, o Alegria alterou suas cores em 2005 para vermelho, branco e ouro. Trouxe como intérprete Pixulé, vindo da Leão de Iguaçu; o diretor de Harmonia Sassá e o diretor de bateria Folia. A escola apresentou o enredo Teatro Rival - 70 anos de resistência cultural e obteve a sua melhor colocação desde sua criação: quinta colocada da segunda divisão.
Em 2006, primeira escola a desfilar na noite de sábado, apresentou o enredo "A Alegria é show de bola", que tinha a bola como tema. Com carros inacabados, sendo que o último não conseguiu atravessar a passarela durante o desfile, a escola acabou na última posição, sendo rebaixada. Naquele ano, teve o reforço do casal de mestre-sala e porta-bandeira Maria Helena e Chiquinho, demitidos da Imperatriz.
Em 2007, trouxe de volta Pixulé e continuou com Maria Helena e Chiquinho, mas com o enredo Negro não humilha e nem se humilha a ninguém. Todas as raças já foram escravas também terminou na 7º colocação.
Em 2008, falando sobre Albino Pinheiro, a Alegria terminou na 5º colocação. No ano seguinte, a escola trouxe como enredo Heitor dos Prazeres, carioca da gema, sambista de coração, ficando na 10º colocação com 237.6 pontos, permanecendo no mesmo grupo.
Para 2010 a escola trouxe o carnavalesco Lane Santana, que desenvolveu o enredo No mundo da fantasia… vejo as cores da Alegria. Além disso trouxe o mestre Claudinho Tuiuti pra fazer dupla com o Mestre Tabaco e teve como madrinha de bateria, a ex-rainha do carnaval 2009 Jéssica Maia, tendo feito um desfile considerado pela crítica como de alto nível, sagrou-se campeã do Grupo Rio de Janeiro 1 (antigo Grupo B) e retornou ao Grupo de acesso A, em 2011.
Nos preparativos para o carnaval de 2011, teve parte de seu barracão incendiado, tendo prejuízo com o incêndio . devido a isso, a escola recorreu a LESGA para evitar o rebaixamento, o que logo depois foi negado e manteve-se o regulamento. com a Alegria recebendo ajuda da prefeitura. no entanto a escola estourou o tempo em seu desfile e foi a última colocada no Grupo de acesso, retornando ao grupo B,.
No ano de 2012 a escola se reforçou trazendo Eduardo Gonçalves como carnavalesco e Mestre Esteves, como diretor de bateria ao lado de Claudinho Tuiuti. além de formar uma corte da bateria, composto por: Andreza Oliveira e Larissa Reis, como rainha e princesa da bateria, ambas da comunidade que se juntaram a modelo Alessandra Mattos, como madrinha de bateria da escola, sendo a segunda colocada.
Em 2013, teve como enredo, o Cordão do Bola Preta e assim como em 2011, foi novamente prejudicada com o incêndio em seu barracão. perdendo desde alegorias a fantasias , terminando na 13º colocação.
Em 2014, segunda escola a desfilar na noite de sábado, falará sobre o bairro de criação da escola (Copacabana), dos carnavalescos André Tabuquine e Eduardo Minucci. onde formaria uma Comissão com Sandro Gomes, que por outros motivos abandonou a escola . tendo sua final de samba-enredo, no dia 14 de setembro, com quatro concorrentes .
Para o carnaval de 2015, a escola falará do jeito de ser do carioca, com o enredo "Kari'Oka" do carnavalesco Eduardo Minucci. O presidente Marcus Almeida fez algumas modificações em sua equipe, promoveu a diretor de carnaval, Maurício Dias, que era da comissão de harmonia. E a comissão de harmonia agora é capitaneada por Gilberto Moura, Carlos Jorge e Uiliam Esteves. Trouxe para a escola o novo casal de MS/PB, Hugo César e Bárbara Falcão e o experiente intérprete Alexandre D'Mendes assumiu o microfone oficial da escola.
Para o carnaval de 2017, o carnavalesco Eduardo Minucci, o intérprete Alexandre D'Mendes e a coreógrafa Renata Monnier são desligados da escola, os novos contratados são Marco Antonio, Tiganá e Jardel Augusto Lemos para os respectivos cargos. O enredo será sobre o orixá Ogum.

Rio Carnival 2017
Samba Schools &
Samba Songs

Find here all Rio Samba School details with the latest samba songs and 2017 parading themes.

You will be able to listen to the 2017 samba songs on your own Rio Carnival Page as soon as they are released.

All samba school songs
info about the schools
all about 2017 rio carnival

Rio Carnival Samba School Photos

Titles of the School

YEAR PLACE
1993 5th place
1994 Champion
1995 Not daraded
1996 Champoin
1997 Vice-Champion
1998 7th place
1999 11th place
2000 Champion
2001 Champion
2002 6th place
2003 Vice-Champion
2004 6th place
2005 5th place
2006 10th place
2007 7th place
2008 5th place
2009 10th place
2010 Champion
2011 11th place
2012 2nd place
2013 14th place
2014 14th place
2015 13th place
2017